quarta-feira, 8 de julho de 2009

2009 - 50 anos do Movimento dos Focolares no Brasil


Este é o ano da comemoração dos 50 anos da chegada oficial do Movimento dos Focolares no Brasil.
Ginetta Calliari, Violetta Sartori, Ada Ungaro (Fiore), Mariza Cerini, Marco Tecilla (o primeiro focolarino), Enzo Morandi (Volo), Rino Chiapperin e Giovanni Buselatto (Gianni), no dia 26 de outubro de 1959, partiram de Gênova e atracaram no porto de Recife no dia 5 de novembro para aqui se estabelecerem. Com eles seria aberto o primeiro focolare feminino e o primeiro focolare masculino fora da Europa (focolares são comunidades masculinas e femininas de leigos consagrados).
No ano anterior, 1958, três focolarinos - Marco Tecilla, Lia Brunet e Ada Ungaro - já tinham vindo ao Brasil e à Argentina, com o intuito de entender onde Deus queria que o Movimento dos Focolares iniciasse nessas terras. E Deus quis que, no Brasil, tudo começasse em Recife!
Eis as principais etapas da história dos Focolares no Brasil (extraído da revista Cidade Nova, julho 2009,nº7, págs 16 e 17 - www.cidadenova.org.br):

1958 - Chegada ao Brasil dos primeiros números de Cidade Nova
- Primeira visita dos focolarinos Lia Brunet, Ada Ungaro e Marco Tecilla

1959 - Chegada dos focolarinos que abririam, em Recife, os primeiros focolares fora da Europa

1961 - Primeira visita de Chiara Lubich a Recife, onde se estabeleceram os dois focolares

1962 - Abertura do primeiro focolare da região Sudeste, em São Paulo
- Fundação da Editora Cidade Nova brasileira, em São Paulo

1964 - Segunda visita de Chiara Lubich ao Brasil

1965 - Terceira visita de Chiara Lubich ao Brasil
- Aquisição do terreno no qual foi construído o primeiro centro de formação dos membros do Movimento dos Focolares (Centro Mariápolis) em Igarassu (PE)
- Abertura do primeiro focolare da região Norte, em Belém (PA)

1966 - Quarta visita de Chiara Lubich ao Brasil
- Inauguração do Centro Mariápolis (centro de formação do Movimento dos Focolares) do Nordeste, Igarassu (PE)

1967 - Aquisição do terreno para a construção da Mariápolis Araceli

1969 - Início a construção da Mariápolis Araceli

1991 - Quinta visita de Chiara Lubich ao Brasil
- Lançamento da Economia de Comunhão na Liberdade

1998
- Sexta visita de Chiara Lubich ao Brasil, durante o qual recebeu diversos reconhecimentos de instituições acadêmicas e políticas
- Inauguração do Polo Empresarial Spartaco no município de Cotia (SP), próximo à Mariápolis Araceli
- Durante sua visita ao Brasil, Chiara Lubich funda as "inundações", ramificação do Movimento dos Focolares, que reúne estudiosos das mais diversas áreas que procuram estudar a incidência do Carisma da Unidade no campo do saber
- Chiara Lubich recebe - na embaixada do Brasil no Vaticano - a Ordem do Cruzeiro do Sul

2001
- Falecimento de Ginetta Calliari
- Em sua homenagem, a Mariápolis Araceli passa a se chamar Mariápolis Ginetta
- Fundação do Movimento Político pela Unidade no Brasil

2007 - Início do Processo de Beatificação e Canonização de Ginetta Calliari
- Inauguração do Polo Empresarial Ginetta, em Igarassu, próximo a Recife (PE)

2008 - Falecimento de Chiara Lubich

2009 - Inauguração do Polo Empresarial François Neveux, próximo à Mariápolis Glória, em Benevides (PA)

- Comemoração dos 50 anos da chegada ao Brasil do Movimento dos Focolares.
Um evento em Recife, com a presença de 5 mil pessoas, marcou o início das festividades, também assinalada em Porto Alegre no início do mês. Para o Sudeste, Centro-Oeste do país e Manaus, haverá, na cidade paulista de Sumaré, nas cercanias de Campinas, um evento nos dias 24, 25 e 26 de julho.

2 comentários:

verinha disse...

Descobri Ginetta no ano passado. Tenho aprendido com ela a experiência de Jesus Abandonado como meu esposo.
obrigada pelo testemunho deixado a nós Ginetta.
Verinha
Comunidade Canção Nova

maria jose disse...

Em 1984, conheci o movimento focolares,e me apaixonei pelo Deus que me apresentaram. Amoroso, compassivo e bondoso, e que não está lá tão longe de mim, e sim, aqui, bem pertinho do meu coração. Um Deus que transformou minha vida. E me fez ver que a vida é sempre servi.

saudação à todos. Mª josé (zeza)