terça-feira, 12 de maio de 2009

Cronologia da vida de Ginetta Calliari

15.10.1918 Nascimento de Ginetta (Luigia) Calliari, em Trento, Itália.
16.06.1933 Morte do pai, Giovanni Calliari.
1944 Entre março e junho, encontro de Ginetta com Chiara Lubich.
1949 Abertura do focolare em Roma: Ginetta substitui Chiara Lubich em Trento.
11.02.1952 Morte da mãe, Fortunata Furlan.
26.10.1959 Partida de Ginetta e outras três focolarinas e quatro focolarinos, de Gênova (Itália) com destino ao Brasil, a fim de abrirem os primeiros focolares no continente americano.
05.11.1959 Desembarque no Recife do primeiro grupo de focolarinas e focolarinos para a abertura dos focolares.
1964 Viagem de Ginetta a São Paulo e abertura do focolare feminino, no bairro do Brás.
1965-1981 Visita de Ginetta a muitas comunidades espalhadas pelo Brasil e abertura de focolares femininos em capitais de vários Estados. .
1966 Início da construção do Centro Mariápolis do Recife.

1969 Início da construção da Mariápolis Araceli (hoje Mariápolis Ginetta, foto abaixo), em Vargem Grande Paulista, onde Ginetta passa a morar.

03.1982 Ginetta sofre um enfarto do miocárdio, tendo que permanecer por um longo período em convalescença.
29.05.1991 Lançamento, por parte de Chiara Lubich, do Projeto Economia de Comunhão, na Mariápolis Araceli.
06. 1996 Ginetta é submetida a uma cirurgia do coração com colocação de pontes de safena
02.1997 Ginetta é submetida a uma cirurgia para colocação de prótese no fêmur por problemas de artrose.

03.05.1998 O “sim dos onze mil”: Ginetta convida os milhares de membros do Movimento reunidos no ginásio do Ibirapuera, São Paulo, a abraçarem Jesus na cruz representado pelo sofrimento da impossibilidade de um encontro deles com Chiara.
07.05.1998 Leitura, por parte de Ginetta, em nome de Chiara Lubich, do discurso sobre “O Movimento dos focolares nos seus aspectos políticos e sociais”, no Congresso Nacional, Brasília.
12.05.1998 Inauguração do Pólo Spartaco, da Economia de Comunhão, durante uma visita de Chiara à Mariápolis Araceli.
26.04.1998 Inauguração da Igreja de Jesus Eucaristia, com a presença de Chiara Lubich, na Mariápolis Araceli.
11-13.06.1999 Reunião do Bureau Internacional da Economia e do Trabalho na Mariápolis Araceli, que contou com a determinante contribuição de Ginetta para sua realização e fundação do Centro de Estudos, Pesquisa e documentação da EdC.
12.11.1999
Visita da Comissão Mista de Combate e Erradicação da Pobreza no Brasil, do Congresso Nacional.
2000 De janeiro a maio Ginetta é hospitalizada três vezes por causa de problemas cardíacos graves, chegando a estar à beira da morte.
08.03.2001 Ginetta conclui sua existência terrena no hospital Sírio Libanês de São Paulo onde foi urgentemente internada, no mesmo dia, por causa de uma repentina nova crise cardíaca. E seu corpo repousa no campo santo da Mariápolis Ginetta.

25.04.2001 Homenagem póstuma a ela da Câmara dos Deputados, Brasília.
2001 Homenagens das Assembléias Legislativas de 11 Estados e das Câmaras Municipais de 10 cidades brasileiras
25.06.2001 A Câmara Municipal de Sorocaba atribuiu a uma via pública o nome de Ginetta Calliari.
26.11.2001 A Câmara Municipal de vargem Grande Paulista oficializa o nome de Mariápolis Ginetta para o bairro onde a comunidade se localiza.
24.04.2002 A Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo atribui o nome Ginetta Calliari a um viaduto em Osasco, por iniciativa do deputado Caldini Crespo.
23.04.2004 A Câmara Municipal de São Paulo confere a Ginetta o título de Cidadã Paulistana, in memoriam.

4 comentários:

Desistir Jamais! disse...

Ainda lembro aquele dia no Ibirapuera, estavamos todos esperando a vinda de Chiara, e na hora que Gineta subiu no palco senti um aperto no coração e quando ela começou a ler a carta e a tradutora começou a chorar no momento que Chiara dizia que não poderia encontrar seu povo. Foi um momento muito triste. Mas graça a Unidade vividas naqueles dias conseguimos responder sim a Jesus Abandonado.Infelizmente me afastei da vida interna do Movimento, porém o ideal que foi plantado no meu coração continua sempre vivo. Peço a Ginetta que me ajude a reencontrar a estrada do Movimento e retornar as suas fileiras. Sidney Amazonas - Belém

ANTONIO LEONARDO OLIVEIRA disse...

Aquele dia foi um momento muito dificil para todos, eu fazia parte da coreografia apresentada pelos membros do Movimento dos focolares de Recife (xaxado). Quando Ginetta leu a carta que Chiara dizia que não poderia encontrar seu povo, todos choravam, estavamos reunidos, pessoas de vários estados se preparando para apresentar suas coreografias, trajes e roupas das mais variadas formas do foclore brasileiro. Naquele momento a tristeza bateu o coração de cada um. Mas graça a Unidade vividas naqueles dias conseguimos responder sim a Jesus Abandonado e subimos ao palco como se Chiara estivesse presente.
Tony - Recife

ANTONIO LEONARDO OLIVEIRA disse...

Aquele dia foi um momento muito dificil para todos, eu fazia parte da coreografia apresentada pelos membros do Movimento dos focolares de Recife (xaxado). Quando Ginetta leu a carta que Chiara dizia que não poderia encontrar seu povo, todos choravam, estavamos reunidos, pessoas de vários estados se preparando para apresentar suas coreografias, trajes e roupas das mais variadas formas do foclore brasileiro. Naquele momento a tristeza bateu o coração de cada um. Mas graça a Unidade vividas naqueles dias conseguimos responder sim a Jesus Abandonado e subimos ao palco como se Chiara estivesse presente.
Tony - Recife

ANTONIO LEONARDO OLIVEIRA disse...

Aquele dia foi um momento muito dificil para todos, eu fazia parte da coreografia apresentada pelos membros do Movimento dos focolares de Recife (xaxado). Quando Ginetta leu a carta que Chiara dizia que não poderia encontrar seu povo, todos choravam, estavamos reunidos, pessoas de vários estados se preparando para apresentar suas coreografias, trajes e roupas das mais variadas formas do foclore brasileiro. Naquele momento a tristeza bateu o coração de cada um. Mas graça a Unidade vividas naqueles dias conseguimos responder sim a Jesus Abandonado e subimos ao palco como se Chiara estivesse presente.
Tony - Recife